Testemunho: instituído em favor dos homens

Sou o seminarista Lucas Lessa, da Diocese de Blumenau, natural da cidade de Ilhota, ambas em Santa Catarina. Venho de uma realidade familiar humilde, de pessoas trabalhadoras e de muita fé. Sempre morei em minha cidade natal, junto dos meus familiares, que por morarem próximos, formam um verdadeiro vilarejo no interior da cidade. Pelo exemplo e necessidade comecei a trabalhar muito cedo, aos 13 anos. Pelo fato que morarmos perto e trabalharmos juntos, tenho essa referência de convício familiar muito acentuada. Final de semana em família na casa dos avós ou tios sempre foi algo frequente. Este mesmo convívio me propiciou uma retidão de valores que recebi e procuro honrar. Afinal, considero um dos primeiros legados recebidos de Deus.

Inspirado em Hebreus 5,1, onde encontramos que “todo sumo sacerdote é tirado do meio dos homens e instituído em favor dos homens nas coisas que se referem a Deus, para oferecer dons e sacrifícios pelos pecados”; me coloco em resposta a este chamado de Deus feito a mim, tirado do meio do povo. E aqui acentuo que a primeira porção deste povo foi minha família. Lembro-me bem de vários fatos da minha infância, mas gostaria de dividir que o apreço ao serviço do altar sempre me chamou atenção, visto que ainda muito novo brincava de rezar missa, repetia do meu jeito simples e inocente as palavras do sacerdote (aquelas que lembrava), me usava de um copinho como taça com suco de uva e de uma hóstia de “bolacha Maria”. Comovo-me ao partilhar isso com vocês, porque sinto tal fato como uma força inspiradora para minha caminhada.

Ao procurar responder Deus, tive várias iniciativas: conversas com sacerdotes, estágios vocacionais e visitas a seminários religiosos e diocesano, mas foi na Diocese de Blumenau que ingressei no ano de 2017. Lá comecei a criar minhas raízes e de modo especial pela acolhida de meu pastor, Dom Rafael Biernaski que muito admiro e tenho um especial apresso, pois além da dimensão eclesial, assume junto de mim, um papel paternal muito expressivo.

Muitas vezes não endentemos de imediato os desígnios de Deus. Em 4 abril de 2018, já cursando Filosofia, meu pai sofreu um grave acidente, impossibilitando-o de andar e trabalhar. Como acima citei a importância da família em minha vida, olhando essa realidade, não pude ficar parado. Mediante conversas e orientações, tocou muito forte no meu coração o desejo de ficar em casa por um tempo para poder ajudar aqueles que amo. Para não perder o ano, decidi então continuar meus estudos como leigo. Admito que foi um ano bem difícil, pois conciliar o trabalho e os estudos não foi fácil, mas isso não me afastou do chamado e muito menos da resposta. Continuei com minha orientação espiritual e vocacional, bem como ligado e envolvido nesta caminhada formativa: talvez um pouco mais distante, mas não menos intensa e importante. Porém, decorrente deste episódio, em virtude da necessidade, Dom Rafael me orientou continuar meus estudos na FASBAM, decisão que acolhi com muito carinho e obediência.

Mesmo que fisicamente um pouco longe, não perco a referência de que faço parte de um corpo seminarístico e procuro criar tal comunhão sempre que possível, ora pessoalmente, ora pela acessibilidade contemporânea das redes sociais.

A formação de um sacerdote é algo muito sério, pois é a partir de todo esse processo formativo que seremos avaliados, aprovados, ordenados e enviados. E quando falo de formação, entendo tanto a institucional quanto a vivencial como muito importante. Se para ser sacerdote, fui tirado do meio dos homens, é a partir de toda essa minha caminhada vocacional que serei instituído em favor destes mesmos homens, por isso estou aberto a modelagem de Deus, pois tudo assume pleno sentido na comunhão com Ele.

Posted in Testemunho, Vocação and tagged , .